Ayrthon Nenê Caetano

Estância Vaneira

Play

Estância lugar sagrado
Do descanso do patrão
Da roda de chimarrão
Da gaita ponto tocando
Do estradeiro chegando
Pra um pedido de pousada
Casa grande atopetada
De alegria e comunhão

Estância do galpão xucro
Abrigo da peonada
Também cede da morada
Do capataz e a família
Do encontro da gauchada
Dos currais para a criação

Estância das invernadas
Onde o peão cuida do gado
Do cinamomo plantado
Para a sombra do verão
Do índio querachamado
De vaqueiro e domador
Ou de um taura trovador
Num mi maior de gavetão

Estância das invernias
De deixar cusco rengueando
Do campanário branqueando
De geada cristalina
Das madrugadas sulinas
Do rádio a pilha tocando
Do rio grande se acordando
De uma noite que termina